As práticas corporais como articuladoras da aproximação entre escola e comunidade

Nome: Jean Felipe Ramalho e SilvaTipo: Dissertação de mestrado profissionalData de publicação: 31/07/2020Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Erineusa Maria da Silva Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Erineusa Maria da Silva Orientador
Ivan Marcelo Gomes Examinador Externo
Luiz Alexandre Oxley da Rocha Examinador Interno
Tarcísio Mauro Vago Examinador Externo
Ueberson Ribeiro Almeida Coorientador

Resumo: Este estudo tem como objetivo geral investigar como as Práticas Corporais podem se constituir como articuladoras da aproximação entre comunidade e escola. A partir da sistematização de estratégias pedagógicas e da análise das nuances suscitadas no entremeio das relações que se dão no processo de educação escolar, a pesquisa busca compreender as possibilidades e entraves do trabalho pedagógico com as Práticas Corporais, nas aulas de Educação Física e refletir sobre como estes elementos influenciam na formação no meio educacional. Para tanto, o trabalho se inspira em princípios fornecidos pelo referencial teórico da pesquisa-intervenção e suas ações estão vinculadas ao leque metodológico das pesquisas participativas. As intervenções realizadas para o desenvolvimento deste trabalho são fruto de uma ampla investigação em que estudantes, pais, mães, responsáveis legais, professoras, professores, gestores, gestoras e os diversos membros da comunidade escolar participam ativamente na construção das proposições e debates. Todos os dados produzidos pelos atores/atrizes da pesquisa partem de um processo de negociação constante entre os pares, com vistas à democratização das ações escolares e o enfrentamento dos problemas em questão. A análise teve como referência estudos de autores como Bauman (2003), que discute os aspectos da formação de comunidades na modernidade líquida, Paro (2016) e Melo (2012), que trazem o debate da escola como instituição democrática e participativa e Silva (2014) que contribui nas discussões sobre as Práticas Corporais. As percepções conclusivas indicaram que o trabalho com as Práticas Corporais, com vistas à aproximação entre escola e comunidade é uma via possível de trabalho, uma vez que as mesmas são capazes de suscitar aspectos que promovem a identificação entre a escola e a comunidade como viabilização de uma participação ativa e protagonismo dos sujeitos. A experimentação das estratégias forneceu também indícios de que a formação da comunidade escolar está cerceada por atitudes antidemocráticas naturalizadas no sistema e nas ações dos diversos sujeitos que fazem parte da educação escolar.

Palavras-chave: Práticas Corporais; Escola; Comunidade; Educação Física; Participação.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910