EFEITOS DO TREINAMENTO KETTLEBELL E DO DESTREINAMENTO NA APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA EM MULHERES JOVENS

Resumo: O método kettlebell (KB), apesar de ter sua origem destacada com base no desenvolvimento da força, atualmente tem sido indicado como uma alternativa para aprimoramento da aptidão aeróbia, que, por sua vez, está relacionada com a saúde. A aptidão aeróbia possui parâmetros-chave, como o consumo máximo de oxigênio (V &#775;O2máx), a economia de corrida (EC), o limiar anaeróbico ventilatório (LAV) e o ponto de compensação respiratória (PCR). Embora tais parâmetros possam ser melhorados com o treinamento aeróbio, apenas o V &#775;O2máx tem sido avaliado em decorrência do treinamento com KB, com poucos e controversos resultados encontrados na literatura acerca deste assunto. Além disso, sabe-se que os efeitos do treinamento aeróbio tradicional na aptidão não são permanentes, sendo reduzidos ou anulados em períodos <4 semanas após o início do destreinamento. Contudo, ainda não foram investigados os efeitos do destreinamento, após o treinamento KB, na aptidão cardiorrespiratória. Portanto, o objetivo deste trabalho é investigar os efeitos do treinamento KB e do destreinamento sobre o V &#775;O2máx, a EC, o LAV e o PCR em mulheres jovens. Participarão da pesquisa mulheres jovens, com idade entre 20 e 29 anos, saudáveis e sem experiência com o treinamento com KB, que serão distribuídas aleatoriamente a um grupo que participará do treinamento com kettlebell (GKB) e a um grupo controle (GC) que não realizará o treinamento. O treinamento será antecedido por um período de familiarização à técnica (2 semanas, 3 sessões semanais) e será constituído por 30 sessões de treinamento (3 sessões semanais). Cada sessão será iniciada por um período de aquecimento e finalizada com um período de desaquecimento (ambos com 5 minutos de duração). A caracterização da intensidade do treinamento será realizada através de medidas de frequência cardíaca, lactato e consumo de oxigênio. Após o período de treinamento, será iniciado o destreinamento (duração de 4 e 8 semanas). As medidas do V &#775;O2máx, a EC, o LAV e o PCR serão obtidas através de teste cardiopulmonar, realizado nos períodos pré-treinamento, pós-treinamento, pós-destreinamento de 4 semanas e pós-destreinamento de 8 semanas. Os dados serão apresentados como porcentagem, média ± desvio padrão (DP). O teste de ANOVA de 2 vias de medidas repetidas com pós teste de Bonferroni será empregado em dados paramétricos. O teste de Friedman e o teste de comparações múltiplas de Tukey serão aplicados em dados não-paramétricos. Os níveis de significância serão mantidos com os valores p&#8804;0,05. O software utilizado para as análises será o IBM SPSS Statistics version 2.1.

Data de início: 2018-03-01
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Rodrigo Luiz Vancini
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910