Iniquidades sociossanitários, práticas corporais e lugar social: um estudo em Vitória/ES

Nome: Liliane Ferreira Sant'Anna Bianchini Ciceri
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/09/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Marcos Bagrichevky de Souza Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ivan Marcelo Gomes Examinador Interno
Marcos Bagrichevky de Souza Orientador
Raul Borges Guimarães Examinador Externo
William Waissmann Examinador Externo

Resumo: Apesar de Vitória (ES) apresentar um dos maiores acúmulos de produção de riquezas no cenário nacional contemporâneo, ao mesmo tempo, é possível verificar, no interior de sua geografia citadina, a presença de um conjunto de contrastes socioeconômicos perversos, que vem persistindo ao longo dos anos. O quadro vigente de iniquidades encontrado nos lugares dessa capital sugere relação com certas políticas estatais do município, instituintes, desde a década de 1990, da oferta de ‘equipamentos permanentes’ destinados às práticas corporais (PC), em espaços públicos, e ‘considerados’ (pela gestão pública) elementos capazes de propiciar práticas saudáveis à população da cidade capixaba. A partir de tais premissas, minha pesquisa objetivou descrever e analisar a distribuição geográfica desses equipamentos (PC), junto com os equipamentos de segurança pública, em dois lugares de Vitória, selecionados por suas notórias disparidades sociossanitárias. Tentei verificar se o contexto comparativo dos equipamentos permitia revelar conexões com os contextos socioeconômicos díspares desses dois lugares. A pesquisa, de cunho qualitativo, utilizou subsídios metodológicos da cartografia, a partir dos quais foram situados os achados do estudo e discutidas as respectivas inferências analíticas. A processo de concretização o trabalho se expressa, fundamentalmente, em três etapas a seguir descritas: (1) elaboração de recorte teórico sistemático, não exaustivo, a partir do vasto e denso aporte conceitual disponível sobre “iniquidades” e sobre o “processo saúde-doença-cuidado”, na perspectiva de articular os temas, e contextualizá-los como fenômenos ‘representativos da paradoxal realidade socioeconômica e política de nosso país, em permanente tensão no Estado Brasileiro ao longo de sua história; (2) levantamento, seleção, organização e análise comparativa de informações secundárias referentes à presença e à distribuição de equipamentos públicos de PC, e de equipamentos de segurança pública georreferenciados na capital capixaba, posteriormente transformadas em representações cartográficas para o estudo; (3) ida à campo, nos dois lugares selecionados (Jardim da Penha, e Gurigica/São Benedito), para realização de registros fotográficos e anotações em diários de campo, com o objetivo de mapear, cotejar e desvelar similitudes e diferenças sociossanitárias entre os dois “lugares” da pesquisa, bem como discutir esses achados, à luz das representações cartográficas dos equipamentos analisados. Os resultados do estudo permitem argumentar que, embora haja certo tipo de institucionalização pública dos equipamentos de PC, em Vitória, advogados como elementos importantes no contexto da saúde populacional pela gestão pública, por outro lado, a distribuição geográfica iníqua dos referidos

equipamentos e o significado disso em termos de possibilidades de acesso/uso popular, podem ser correlacionados à segregação socioespacial, às desigualdades injustas e à subvalorização de certos lugares no município, elemento revelador das iniquidades existentes. Também foram percebidas disparidades importantes quanto à presença e distribuição espacial dos equipamentos de segurança pública nos dois lugares da pesquisa, algo que pode interferir na possibilidade das pessoas realizarem práticas corporais.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910