VALORES EM JOGO: CERIMÔNIAS ESPORTIVAS COMO RITUAIS SECULARES DE EMULAÇÃO DE VALORES

Nome: Ana Gabriela Alves Medeiros
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/03/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Otávio Guimarães Tavares da Silva Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Carlos Nazareno Ferreira Borges Examinador Interno
Nelson Schneider Todt Examinador Externo
Otávio Guimarães Tavares da Silva Orientador

Resumo: A proposta deste estudo é elaborar uma análise que envolve a emulação de valores a partir de rituais em um contexto específico: o esportivo. Para isto, partimos da compreensão de que as cerimônias esportivas possuem uma dimensão ritualística que se constitui como um palco privilegiado para a celebração de valores (MORÁGAS, MacALOON e LLINÉS, 1995). Os Jogos Olímpicos como referência central de competição é evidente na esfera esportiva, de forma que a quantidade de olimpíadas se expande, abrangendo competições poliesportivas desde níveis comunitários até mundiais. Torna-se perceptível que, direta ou indiretamente, estas competições baseiam-se no modelo cerimonial olímpico. Baseando-se nesse pressuposto, buscamos identificar e analisar os valores que orientam diferentes jogos escolares bem como os sentidos e significados atribuídos às cerimônias de abertura e ao esporte por alunos-atletas e organizadores de quatro jogos escolares (selecionados intencionalmente). Para tanto, combinamos os dados advindos da observação direta das cerimônias, das entrevistas guiadas realizadas com alunos-atletas e organizadores, bem como da aplicação de questionários. Seguindo às hipóteses do estudo, percebeu-se que os jogos e olimpíadas escolares analisados emularam as cerimônias olímpicas e seus valores ao mesmo tempo em que promoveram sua identidade e valores específicos. Entretanto, constatou-se a partir das falas dos organizadores que as especificidades valorativas dos seus eventos não são claramente distinguíveis em relação aos Jogos Olímpicos e/ou aos valores associados ao esporte como um todo. Verificou-se também que à medida que os jogos escolares apresentam características mais locais (com menor dimensão e população), a forma das cerimônias parece configurar-se de maneira mais flexível, sobretudo, no que se refere a como e em que ordem os elementos protocolares são dispostos ao longo da cerimônia. No que se refere às representações valorativas dos elementos e símbolos olímpicos, percebe-se que o caráter ritual da cerimônia esportiva é objetivamente pouco compreendido em termos de significados pelos entrevistados, mas, temos subsídios para pensar que a cerimônia parece manter sua eficácia social situada na produção das crenças.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910