SOBRE O IMPACTO DO MOVIMENTO RENOVADOR DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS IDENTIDADES DOCENTES

Nome: Thiago da Silva Machado
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/03/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valter Bracht Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Felipe Quintão de Almeida Examinador Interno
Ivan Marcelo Gomes Examinador Interno
Mauro Betti Examinador Externo
Valter Bracht Orientador

Resumo: Reflete sobre o impacto do Movimento Renovador da Educação Física (MREF) nas identidades docentes dos professores da área que concluíram seus cursos de formação inicial em período anterior aos primeiros anos da década de 1990. Examina a hipótese de que a desnaturalização da EF promovida por essa produção, particularmente em função da crítica ao esporte, teria incidido na identidade do ser docente desses sujeitos. Realiza um trabalho empírico a partir de entrevistas semiestruturadas com professores de Educação Física (EF) residentes em diferentes Estados e Regiões brasileiras (dialoga, especificamente, com 13 docentes de 9 distintos Estados do País). Problematiza o processo de configuração desse Movimento acadêmico, tomando como perspectiva de análise a sociologia de Zygmunt Bauman (1998, 1999, 2010), e aponta a postura legisladora assumida pelo MREF na tentativa de reordenar a área. Estabelece diálogo com a teoria do reconhecimento social de Axel Honneth (2009) a fim de compreender em que medida essa mesma postura legisladora condicionou a constituição identitária dos professores de EF. Para tanto, levando em consideração o conceito de outro generalizado de George H. Mead (1972), aproxima a ideia de uma prática intelectual legisladora da noção de denegação do reconhecimento descrita por Honneth (2009). Aponta o impacto do MREF como resultado de um processo tangenciado por uma espécie de gramática moral, na qual sobressaem as questões de cunho afetivo-moral. Conclui que, a despeito de ter possibilitado renovar e ampliar a EF, a postura legisladora adotada, atrelada à proposta de uma ruptura com a tradição da EF (mormente, em função da crítica do esporte), foi interpretada, por parte dos professores, como situações de desrespeito, impossibilitando-os de autorrealização na comunidade de valores da EF (nesse caso, o peso da relação afetiva daqueles docentes com o esporte foi fator fundamental). Destaca, por fim, a importância da consideração, nos processos de formação continuada, das experiências, das crenças e dos saberes acumulados pelos professores das escolas, visando a uma revisão da relação entre o conhecimento acadêmico e o conhecimento produzido na prática.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910