FORMA ESCOLAR, EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL: (IM)PERTINÊNCIAS

Nome: Maria Celeste Rocha
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 05/07/2011
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Valter Bracht Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Valter Bracht Orientador
Sandra Soares Della Fonte Examinador Interno
Felipe Quintão de Almeida Examinador Interno
Alexandre Fernandez Vaz Examinador Externo

Resumo: Reflete sobre algumas questões que permeiam o debate atual sobre Educação Infantil, buscando compreender e problematizar seu papel/função, assim como discutir a inserção da Educação Física nesse segmento educacional. Objetiva estabelecer um diálogo crítico com a Pedagogia da Infância; problematizar a noção de forma escolar como modelo para a Educação Infantil; identificar como a inserção do professor de Educação Física (especialista) se concretiza na visão dos professores regentes, pedagogos e dinamizadores; e, por fim, verificar como os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) organizam o trabalho pedagógico entre os professores regentes e professores especialistas. Utiliza, como fundamentação, o pensamento de Hannah Arendt (1990), a proposta de uma Pedagogia da Infância (ROCHA, 1998) assim como a Teoria da Forma Escolar (GUY VINCENT; LAHIRE; THIN, 2001). Entrecuza o referencial teórico com os dados coletados a partir de entrevistas semiestruturadas com professoras regentes de salas, especialistas em Educação Física (dinamizadoras) e pedagogas que atuam em instituições de Educação Infantil do Município de Vitória/ES. Aponta uma tensão presente no processo educativo da criança pequena. Em relação à Educação Infantil, tanto os estudiosos da área quanto as professoras que atuam nas suas instituições têm como pressuposto fundamental que a função da Educação Infantil está atrelada à dimensão do cuidar e educar de forma indissociável. Apesar de algumas professoras, em suas falas, considerarem tal pressuposto, o que se destacou foi a preocupação em preparar a criança para o Ensino Fundamental. Quanto à inserção da Educação Física na Educação Infantil, destaca que esse tema se apresenta ainda bastante polêmico, pois, além de opiniões divididas entre defesa e negação dessa inserção, não se tem muito claro qual a especificidade desse componente curricular para a Educação Infantil, tanto no meio acadêmico, quanto nas propostas para educação da pequena infância. Longe de defender ou negar a presença da Educação física na Educação Infantil, o estudo levanta questões que precisam consideradas antes da elaboração de qualquer proposta de especificidade da Educação Física para essa modalidade da educação.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910