Respostas cardiovasculares ao treinamento com kettbell

Nome: Sabrina Pereira Alves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/04/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luciana Carletti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Luciana Carletti Orientador
Richard Diego Leite Examinador Interno
Tiago Peçanha Examinador Externo

Resumo: A modulação autonômica cardíaca e a resposta hemodinâmica tem sido avaliadas durante o esforço e na etapa da recuperação após exercício, para avaliar a dose-resposta e a eficácia em proporcionar respostas cardiovasculares. O treinamento com kettlebell, uma modalidade não tradicional, ainda foi pouco explorado no que tange seu impacto autonômico e eficácia em promover adaptações cardiovasculares. A caracterização do estímulo deste tipo de exercício no decorrer de um programa de treinamento pode auxiliar na otimização e eficiência ao prescrever o treinamento com kettlebell no que se refere a dose-efeito relacionados a volume, intensidade e aspectos de segurança ao longo de sessões. Portanto, o objetivo do estudo foi caracterizar a modulação cardíaca autonômica e a resposta hemodinâmica aguda durante e após exercício em três fases distintas no decorrer de um programa de treinamento kettlebell hardstyle aplicado em mulheres jovens saudáveis. O protocolo de treinamento foi composto por 10 semanas antecedido por duas semanas de familiarização, utilizando os exercícios swing e agachamento. Para testar a normalidade foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk. Aplicou-se ANOVA de duas vias de medidas repetidas, seguida do teste de pos hoc de Sidak. De forma aguda, a atividade simpática autonômica, pressão arterial sistólica e a frequência cardíaca aumentaram significativamente diante do estímulo estressor do exercício e não retomaram os valores iniciais (pré-exercício) durante a recuperação (p<0,05). Não houve diferenças entre as respostas hemodinâmicas e autonômicas entre fases (p>0,05). Foi observado um aumento significativo de 29,25% nos níveis de força máxima em membros inferiores, bem como um incremento de 8,51% na capacidade aeróbia das participantes, em comparação aos valores iniciais antes do período de treinamento. O protocolo kettlebell hardstyle é capaz de gerar respostas cardiovasculares vigorosas aplicado como programa de treinamento promove adaptações na aptidão física.

Palavras-chave: Pressão arterial, Sistema nervoso autônomo, Exercício, Força muscular.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910