REDUÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL AMBULATORIAL APÓS UMA SESSÃO DE TREINAMENTO DE CORRIDA NA INTENSIDADE DO LIMIAR ANAERÓBIO EM CORREDORES DE MEIA IDADE

Nome: Juliana Zanol Cardoso Pezzim
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 26/05/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luciana Carletti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cláudia Lúcia de Moraes Forjaz Examinador Externo
Jose Geraldo Mill Examinador Interno
Luciana Carletti Orientador

Resumo: A corrida de rua é uma prática esportiva que cresce a cada ano em todo o mundo, assim como seu número de adeptos, sendo que, muitos destes corredores iniciam esta atividade na meia-idade, buscando benefícios físicos, sociais e psicológicos. Sendo, o exercício aeróbio contínuo, um instrumento não farmacológico de controle da pressão arterial (PA), e o mais relacionado com a hipotensão pós-exercício, este estudo teve como objetivo, descrever as respostas cardiovasculares de recuperação da frequência cardíaca (FC) e pressão arterial (PA), registradas durante as 24h seguintes a uma sessão de treinamento na intensidade do limiar anaeróbio ventilatório (LAV) de corredores saudáveis de meia-idade, comparar as médias pressóricas e FC de 24h, vigília, sono e cargas pressóricas nos mesmos períodos entre o MAPA controle e MAPA após a sessão no LAV, e ainda, comparar as médias horárias da pressão arterial e FC da MAPA controle e da MAPA após a sessão do LAV nos períodos de vigília e sono. Vinte e dois homens saudáveis de meia-idade, corredores, foram submetidos uma sessão de exercício realizada na intensidade do LAV, sendo que a PA foi medida através da MAPA após a sessão e foi comparada a MAPA realizada em um dia controle. A média da PAS apresentou redução nas 24h (123 ± 2 vs 120 ± 2,p&#8804; 0,009) e na Vigília (127 ± 2 vs 123 ± 2,p&#8804; 0,002), já as médias da PAD apresentaram redução nas 24h (73 ± 1 vs 74 ± 2,p&#8804; 0,019), no período da Vigília (80 ± 1 vs 78 ± 2,p&#8804; 0,020). A média da PAM também foi reduzida nas 24h (91 ± 1 vs 89 ± 2,p&#8804; 0,004) e na vigília (95 ± 1 vs 93 ± 2,p&#8804; 0,016). Os valores de carga pressórica sistólica mostraram redução significativa na média de 24h (p<0,005) e na média de vigília (p<0,003); e diastólica na média de 24h (p<0,032) e na média do sono (p<0,015). A curva de comportamento das médias horárias de PA e FC mostram redução significativa da PAS (p<0,004), PAD (p<0,031), PAM (p<0,017) entre os momentos (controle x LAV). Em conclusão, uma sessão de exercício aeróbio realizado na intensidade do LAV, causa redução da pressão arterial ambulatorial sistólica, diastólica e média, em corredores de rua de meia-idade saudáveis, na vigília e nas 24h, mas não no sono

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910