Risco, Saúde e Sociedade

Código: PGEF-26
Curso: Mestrado em Educação Física
Créditos: 4
Carga horária: 60
Ementa: Aspectos conceituais do risco. O risco no contexto das relações entre tecnologia, ciência e poder. Os discursos sobre riscos à saúde e sua repercussão na vida (pública e privada) contemporânea: implicações sócio-culturais, éticas, políticas e epistemológicas. Risco como categoria analítica de pesquisas do/no campo, em especial aquelas que investigam os processos de subjetivação e as inequidades em saúde.
Bibliografia: ALMEIDA FILHO, Naomar. Des-construindo o conceito de risco. In: ALMEIDA FILHO, Naomar. A clínica e a epidemiologia. Salvador: APCE-ABRASCO, 1992. p.123-143.

ALMEIDA FILHO, Naomar. Epílogo: o homem dos riscos. In: ALMEIDA FILHO, Naomar. A clínica e a epidemiologia. Salvador: APCE-ABRASCO, 1992. p.144-152.

AYRES, J.R.C.M. Sobre o risco: para compreender a Epidemiologia. 3. ed. São Paulo: Hucitec; 2008.

BAGRICHEVSKY, M.; CASTIEL, L.D.; VASCONCELLOS-SILVA, P.R.; ESTEVÃO, A. Discursos sobre comportamento de risco à saúde e a moralização da vida cotidiana. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, supl.1, p.1699-1708, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/081.pdf>.

BAGRICHEVSKY, Marcos; ESTEVÃO, Adriana. Epidemia de comportamentos de risco? Nota sobre contextos sócio-culturais desiguais e dimensões subjetivas do processo saúde-doença. Cadernos de Saúde Pública, v. 25, n. 10, p. 2297-2298, 2009. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/csp/v25n10/20.pdf>.

BARRETO, Maurício Lima. Comentário: Tecnologias em saúde e o sempre tênue equilíbrio entre riscos e benefícios. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 3, p. 397-399, 2006. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/rsp/v40n3/05.pdf>.

BRICEÑO-LEÓN, Roberto. A cultura da enfermidade como fator proteção e de risco. In: VERAS, R.P.; BARRETO, M.L.; ALMEIDA-FILHO, N.; BARATA, R.B. (orgs.). Epidemiologia: contextos e pluralidade. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/Abrasco, 1998. p.121-131.

CARDONA, Milagros Coromoto García. Linguagem dos riscos e sujeitos posicionados: o uso de agrotóxicos no Vale de Quíbor, Venezuela. Tese de Doutorado – PUC/SP. 2004. Disponível em: http://www.pucsp.br/pos/pssocial/pso/nucleos/npdps/arquivos/Milagros.pdf.

CASTIEL, Luis David. A medida do possível... saúde, risco e tecnobiociências. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1999.

CASTIEL, Luis David. A saúde persecutória: os limites da responsabilidade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.

CASTIEL, Luis David. Vivendo entre riscos e agravos: a teoria da relatividade do risco. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 3, n. 2, p. 237-264, 1996. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v3n2/v3n2a03.pdf>.

CASTIEL, Luis David; GUILAM, Maria Cristina. Risco e saúde. In: DE SETA, Marismary Horsth (org.). Gestão e vigilância sanitária: modos atuais do pensar e fazer. 2006. p.15-32.

COSTA, J.F. O vestígio e a aura: corpo e consumismo na moral do espetáculo. Rio de Janeiro: Garamond; 2004.

CZERESNIA, Dina; FREITAS, Carlos Machado (Org.). Promoção da saúde: conceitos, reflexões e tendências. 5a. reimpressão. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009.

CZERESNIA, Dina. Ciência, técnica e cultura: relações entre risco e práticas de saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, n. 2, p. 447-455, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csp/v20n2/12.pdf>.

FERREIRA, M. “Navegar é preciso, viver não é preciso”: risco no discurso da vida ativa. Motriz, v. 15, n. 2, p. 349-357, 2009. Disponível em: <http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/vi....

FAGOT-LARGEAULT, Anne. A pesquisa etiológica: caminhos causais, histórias, influências, ontologia causal. In: RUSSO, M.; CAPONI, S. (orgs.). Estudo de filosofia e história das ciências biomédicas. Discurso Editorial: São Paulo, 2006. p.185-199.

FRAGA, Alex Branco. O exercício da informação: governo dos corpos no mercado da vida ativa. Campinas: autores Associados, 2006.

GOMES, Ivan Marcelo. Obesidade como metáfora contemporânea: uma “cruzada saudável” em nome do consumo e do risco. Movimento, v. 12, n. 3, p. 45-71, 2006. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/2909/1545>.

MITJAVILA, Myriam. O risco como recurso para a arbitragem social. Tempo Social, v.14, n.2, p.129-145, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ts/v14n2/v14n2a07.pdf>.

NOGUEIRA, Roberto Passos. A saúde pelo avesso. Natal: Seminare, 2003.

SPINK, M.J.P. Ser fumante em um mundo antitabaco: reflexões sobre riscos e exclusão social. Saúde e Sociedade, v. 19, n. 3, p. 481-496, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19n3/02.pdf>.

SPINK, M.J.P.; LISBOA, M.S.; RIBEIRO, F.R.G. A construção do tabagismo como problema de Saúde Pública: uma confluência entre interesses políticos e processos de legitimação científica. Interface, v. 13, n. 29, p. 353-365, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v13n29/v13n29a09.pdf>.

VAZ, P.; POMBO, M; FANTINATO, M.; PECLY, G. O fator de risco na mídia. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 11, n. 21, p. 145-153, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v11n21/v11n21a13.pdf>.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910