Efeitos da administração de baixa dose de l-name e treinamento aeróbio sobre cardiomiócitos isolados

Nome: Taynan Corti Luchi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/05/2018
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
André Soares Leopoldo Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Richard Diego Leite Examinador Interno
LEONARDO DOS SANTOS Examinador Externo
André Soares Leopoldo Orientador

Resumo: Introdução: O óxido nítrico (NO) é um gás solúvel, sendo de suma importância sua capacidade mensageira, ativando ou inibindo diversas moléculas-alvo envolvidas em diversos processos fisiológicos. A inibição por curto e médio prazo da produção de óxido nítrico (NO) acarreta uma série de efeitos deletérios ao sistema cardiovascular. Altas doses (20-100 mg/kg) de NG-nitro-L-arginine methyl ester (L-NAME) promovem hipertensão arterial, aumento na fração de colágeno miocárdico com consequente elevação da fibrose e necrose, bem como prejuízo funcional. Contudo, a administração de baixas doses de L-NAME (0,5-10 mg/kg) parece aumentar a atividade das óxido nítrico sintases (NOS) na aorta e ventrículo esquerdo (VE), além de reverter o aumento da pressão arterial. Esses resultados sugerem que a administração de baixa dose de L-NAME pode ativar a síntese de NO por feedback negativo e, consequentemente, promover benefícios ao sistema cardiovascular. O exercício físico também está associado à diversos efeitos cardioprotetores, além de acarretar aumento na biodisponibilidade de NO e expressão e atividade da óxido nítrico sintase endotelial (eNOS). Objetivo: Avaliar os efeitos do exercício físico aeróbio e administração de baixa dose de L-NAME sobre o processo de remodelamento cardíaco, parâmetros contráteis e cinética de cálcio (Ca+2) em cardiomiócitos isolados. Métodos: Ratos Wistar (n = 56) foram distribuídos aleatoriamente em quatro grupos: Controle (C), L-NAME (L), Exercício (Ex), e Exercício + L-NAME (ExL). Os grupos exercitados realizaram treinamento físico aeróbio com intensidades progressivas de 50 a 80% da velocidade máxima média por 12 semanas. A administração de L-NAME foi realizada diariamente por meio de gavagem orogástrica na concentração de 1,5 mg/kg/dia. Foram analisados a adiposidade corporal, o perfil pressórico, morfologia cardíaca, área seccional transversa (AST) do miócito, colágeno miocárdico, parâmetros de contratilidade cardíaca e transiente de Ca+2 intracelular. Os dados foram expressos em média ± erro padrão da média. O nível de significância considerado foi de 5%. Resultados: A associação do exercício físico aeróbio e baixa dose de L-NAME acarretou elevação significante da pressão arterial sistólica na 8ª semana e pressão diastólica final do VE (semana 12), bem como aumento na relação coração/tíbia e fração de colágeno miocárdico, no entanto, com diminuição da AST. Além disso, o percentual de encurtamento e os tempos de encurtamento e relaxamento a 50% foram menores no grupo ExL in relação ao L e Ex. A amplitude de Ca+2 e o tempo para 50% do pico de Ca+2 foram maiores no ExL, no entanto, essa associação acarretou menor tempo para 50% de decaimento de Ca+2. Conclusão: A associação do exercício físico aeróbio e baixa dose de L-NAME não promove benefícios ao sistema cardiovascular, uma vez que acarreta remodelamento cardíaco decorrente de aumento da fração de colágeno e pressão diastólica final do VE, bem como disfunção contrátil em cardiomiócitos isolados. Os achados também indicam que essa associação promove aumento na sensibilidade ao Ca+2 intracelular.

Palavras-chave: Óxido Nítrico, Remodelamento Cardíaco, Óxido Nítrico Sintases, Contratilidade.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910