Epistemologia da Educação Física

Código: PGEF-03
Curso: Mestrado em Educação Física
Créditos: 4
Carga horária: 60
Ementa: Visa situar o mestrando na discussão sobre a identidade do campo, sobre os pressupostos epistemológicos utilizados nas pesquisas desenvolvidas no campo, bem como, das características da produção acadêmica na Educação Física. Estudo das relações entre os fundamentos do conhecimento e as características da educação física enquanto prática social.
Bibliografia: ALMEIDA, F. Q.; VAZ, A. F. Do giro lingüístico ao giro ontológico na atividade epistemológica em Educação Física. Movimento, Porto Alegre, v. 16, n. 3, p. 11-28, jul./set. 2010.
ALMEIDA, F. Q.; BRACHT, V.; VAZ, A. F. Classificações epistemológicas na educação física: redescrições... Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 4, p. 241-263, out./dez. 2012.
ALMEIDA, Felipe Quintão de. Educação Física, corpo e epistemologia: uma leitura com o filósofo José Nuno Gil. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 7, n. 2, p. 329-344, maio/ago. 2012.
BETTI, M. Por uma teoria da prática. Motus Corporis, v. 3, n.2, p. 73-127, 1996.
BETTI, M. Educação física escolar: ensino e pesquisa-ação. Ijuí: Unijuí, 2009.
BRACHT, V. Educação física & ciência: cenas de um casamento (in)feliz. IJuí: Unijuí, 1999.
BRACHT, V. Corpo, movimento, conhecimento, Educação e Educação Física: uma exploração filosófica. Florianópolis. Tese [Pós-Doutorado em Educação] - Universidade Federal de Santa Catarina; 2012.
______. Epistemologia, ensino e crítica: desafios contemporâneos. In: GOMES, I. M.; ALMEIDA, F. Q.; VELOZO, E. L. Epistemologia, ensino e crítica: desafios contemporâneos para a Educação Física. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2013. p. 19-30.
______. Desafios e dilemas da pós-graduação em educação física: conhecimento e especificidade. In: Simone Rechia et al. (Org.). Dilemas e desafios da pós-graduação em educação física. Ijuí: Unijuí, 2015, p. 109-123.
______. Educação física, método científico e reificação. In: STIGGER, M. P. Educação Física + Humanas. São Paulo: Autores Associados, 2015. p. ???.
______. Identidade e crise da Educação Física: um enfoque epistemológico. BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Org.). A educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados, 2003. p. 13-29.
BRACHT, V.; ALMEIDA, F. Q. O debate Rorty/Habermas: implicações para a relação entre a teoria e a prática pedagógica na educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 29, p. 123-136, 2008.
FENSTERSEIFER, P. Atividade epistemológica e educação física. In: NÓBREGA, T. P. (Org.). Epistemologia, saberes e práticas da educação física. João Pessoa: Editora da UFPB, 2006, p. 29-37.
______. Epistemologia e Prática Pedagógica. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 30, p. 203-214, 2009a.
______. Linguagem, hermenêutica e atividade epistemológica na Educação Física. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 4, p. 243-256, 2009b.
______. Educação Física: atividade epistemológica e objetivismo. Filosofia e Educação: Revista Digital do Paidéia, Campinas, v. 2, n. 2, p. 99-110, out. 2010.
CHAVES-GAMBOA, M.; SÁNCHEZ GAMBOA, S. (Org.) Produção do Conhecimento na educação física: balanços, debates e perspectivas. Maceió: Edufal, 2015.
KIRK, D. Assassinato ou Suicidio? “Educação Física” ou “Cinesiologia”? Profissão versus Disciplina? Os Futuros da Educação Física. In: KIRK, D. Londres: Routledge, 2010a, p. 33-40.
______. Situación actual y tendencias futuras de la investigación sobre la educación física en Europa: algunas cuestiones cruciales que explican por qué la investigación es importante. In: TORRALBA, M. A. et al. V CONGRESO INTERNACIONAL Y XXVI CONGRESO NACIONAL DE EDUCACIÓN FÍSICA. Docencia, innovación e investigación en educación física (1-17). Anais... Barcelona: Inde, 2010b.
LIMA, H. L. A. Pensamento epistemológico da educação física brasileira: das controvérsias acerca do estatuto científico. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1999.
LOVISOLO, H. Educação física como arte da mediação. Contexto & Educação. Ijuí, v.7, n. 29, p. 26-59, jan./mar. 1992.
MANUEL, E. J. Produtivismo e ética na pesquisa em educação física: leituras, um conto e alguns casos. In: RECHIA, S. et al. (Org.). Dilemas e desafios da pós-graduação em Educação Física. Ijui: Editora Unijuí, 2015, p. 235-282.
PAIVA, F. S. L. de. Constituição do campo da educação física no Brasil. In: BRACHT, V.; CRISORIO, R. (org.). A educação física no Brasil e na Argentina. Campinas: Autores Associados, 2003, p. 55-80.
SÉRGIO, M. Educação física ou ciência da motricidade humana? Campinas: Papirus, 1989.
SILVA, E.; SANT’AGOSTINO, L. H. F.; BETTI, M. Expressão corporal e linguagem na educação física: uma perspectiva semiótica. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 4, n.4, p. 29-38, 2005.
SOUZA E SILVA, R. V. Pesquisa em Educação Física: determinações históricas e implicações epistemológicas. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Campinas, Campinas, 1999.
TANI, G. Cinesiologia, educação física e esporte: ordem emanente do caos na estrutura acadêmica. Motus Corporis, v. 3, n.2, p. 9-50, 1996.
VILAÇA, M. M.; PALMA, A. Diálogo sobre cientometria, mal-estar na academia e a polêmica do produtivismo. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, p. 467-484, 2013.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910